Hospital Unimed Colatina é o novo credenciado à Banescaixa

Unidade já está atendendo aos beneficiários da região Norte e Noroeste

O Hospital da Unimed em Colatina atende a região norte e noroeste do Espírito Santo e conta com uma estrutura completa. A instituição possui pronto-socorro, UTI, UTINP e hemodinâmica, prestando atendimentos de média e alta complexidade.

“Esse prestador de serviço vem sendo avaliado pela administração da Banescaixa desde o ano passado. Já fizemos alguns atendimentos no hospital para alinharmos a parte operacional e com tranquilidade divulgamos mais um credenciado para atender aos nossos beneficiários”, declarou o superintendente da Banescaixa, Benedito de Jesus Pimentel (Bené).

Os serviços ofertados pelo hospital são:

  • Pronto Atendimento 24 horas: Pediatria, Clínica Geral e Ortopedia;
  • Sala de medicação, repouso com 4 leitos adulto e 2 pediátrico;
  • 2 andares com 47 leitos para internação;
  • Sala de pequena cirurgia;
  • Centro Cirúrgico com 5 salas e 5 leitos de RPA (Recuperação Pós Anestésica);
  • 8 leitos de UTI;
  • 4 leitos de UTINP;
  • 2 leitos para emergência;
  • Raio X, tomografia e ultrassom
  • Serviço de hemodinâmica.

Para conferir a rede credenciada completa da Banescaixa clique aqui.

 

Estação Saúde

 

Nesse espaço você vai conferir os eventos realizados em parceria com a Clínica DOC. A Estação Saúde é um momento para conhecer o Programa Atenção Primária à Saúde – APS e fazer o primeiro acolhimento com o serviço de aferição de pressão, cálculo do IMC e marcação de consulta, entre outros.

A Banescaixa realizou a primeira Estação Saúde na Banespar – Associação de Aposentados do Banestes. O programa foi apresentado aos aposentados em primeira mão no dia 27/07/2022, em uma reunião com a presença dos aposentados associados à Banescaixa, a superintendência da Banescaixa e a equipe da Clínica DOC.  

 

 

 

 

 

 

 

PROGRAMA MEU MÉDICO
Atenção Primária à Saúde - APS

 

 

 

 

 

 

Convite

 

Você receberá na sua casa uma carta convite esclarecendo quem é a Clínica DOC e quais serviços serão ofertados na sua região. Além da carta convite, você receberá uma ligação da equipe multidisciplinar informando o Programa de Atenção Primária à Saúde – APS e te convidando a agendar a primeira consulta com o seu médico da família.

 

 

 

 

 

 

 

Dia 20 de julho é o Dia do Amigo e Internacional da Amizade

No Dia do Amigo psicóloga explica a importância da amizade para nossa saúde

A amizade é considerada uma importante fonte de bem-estar subjetivo e de felicidade, tão importante que tem uma data especial para celebrar o amigo, o dia 20 de julho. Temos a necessidade de viver em sociedade, sendo assim, ter amigos e manter amizades apresentam-se como fatores fundamentais para o nosso desenvolvimento saudável.

A influência das amizades é importante durante toda a vida do indivíduo. No entanto, em cada uma delas a função é diferente. Para falar um pouco mais sobre como nossas relações de amizades influenciam nas nossas vidas, conversamos com a professora de psicologia da Faculdade São Luís de França, Marcela Teti, que esclareceu algumas questões.

De acordo com a psicóloga, durante a infância podemos resumir a importância da influência dos amigos de duas formas. Quando a criança é muito pequena, o outro pode ser a oportunidade de tirar a criança do seu centro. Até os 5 anos de idade, a criança tem dificuldade de entender o mundo de outra perspectiva que não a sua. Em geral, de acordo com Piaget, a criança é autocentrada, e amoral, visto que não consegue compreender as regras sociais.

“Assim, mesmo que o cérebro da criança não esteja pronto para entender as regras sociais, ou aprender a compartilhar brincadeiras, podemos supor que o estímulo de outra será o auxílio para o desenvolvimento de competências como compartilhar, ser solidária, ser empática, brincar junto. A partir dos 6 anos, as amizades e o compartilhamento devem ser estimulados, pois as crianças conseguem se colocar no lugar das outras, já se percebem como sociais. Brincadeiras coletivas, jogos organizados, competições, são muito importantes para o desenvolvimento físico e psicomotor, para o desenvolvimento de afeto, respeito ao próximo e para o desenvolvimento de compaixão”, explicou.

Na adolescência a amizade deve ser estimulada especialmente para que o adolescente não se veja como estranho. Entre os 12 e os 20 anos, ele passa por muitas mudanças, dentre elas o questionamento das verdades e certezas. “Entender que esta fase racional afetiva é coletiva pode torná-lo mais consciente de seus processos. Compartilhar as dores, alivia o sofrimento e ajuda a se posicionar de uma forma diferente sobre a vida. Na fase adulta, a amizade é importante, especialmente porque um bom amigo nos motiva ou nos estimula a ser melhores. Também os amigos nos acolhem, autoriza que sejamos autênticos, e nos ajuda a crescer e desenvolver”, destacou.

Amizade X vida mais saudável

A amizade é o balanço, o equilíbrio que precisamos nos momentos de angústia. A amizade só é salutar se te auxilia no seu processo de desenvolvimento, se você sente que está ficando melhor, se tornando mais autônoma quanto às suas opiniões e sensações. A partir do momento que a amizade te faz sentir pior, culpada, triste, azeda, mesquinha... Talvez seja melhor se recolocar na vida e organizar novas amizades positivas.

Segundo Marcela Teti, a ausência de amigos pode nos tornar egocêntricos, egoístas, misantrópicos, com ausência de habilidades sociais. “A falta de amizades também retira o balanço, o equilíbrio com relação a sua rotina de saúde mental. Às vezes, sofremos por problemas que criamos em nossa cabeça, devido ao nosso grau de exigência. Este sofrimento seria amenizado se existisse alguém dizendo que o problema passa com a maioria das pessoas e se relevássemos as críticas excessivas que temos”, alertou.

Boa parte do nosso martírio é porque exigimos mais do que o ser humano pode dar conta. E ter alguém para sinalizar nossa ansiedade ou alertar sobre nosso estado de tristeza pode nos auxiliar a espantar a “nuvem cinza” que paira sobre a cabeça ou a aceitar problemas e desafios como parte natural do nosso trabalho ou nossa existência cotidiana.

Fonte: Imprensa 24h